Quando uma criança pode se beneficiar de psicoterapia?

A psicoterapia pode ajudar crianças que estejam lidando com questões emocionais como medos, ansiedades, tristeza excessiva, perda de um ente querido ou passando por algum estresse que interfere com o seu funcionamento no dia-a-dia.

Também pode ajudar a criança a se ajustar a mudanças da vida, como mudar para uma nova escola ou o nascimento de um irmão, a lidar com a raiva e a aprender novas formas de lidar com os colegas, pais e professores para ajudá-la a evitar conflitos e fazer amigos.

Também podem se beneficiar da psicoterapia as crianças que passam por acompanhamento com neuropediatra ou psiquiatra devido a distúrbios do desenvolvimento infantil, como transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, transtorno do desenvolvimento intelectual, transtorno do espectro autista e transtorno obsessivo-compulsivo. Nesses casos, a psicoterapia auxilia na psicoeducação sobre o quadro enfrentado pela criança, além de ensinar estratégias de regulação emocional e formas de compensar as dificuldades típicas de cada quadro, como impulsividade ou dificuldade de interação social.

 

Qual é o objetivo da psicoterapia infantil?

Meu objetivo com a psicoterapia infantil é ajudar a criança a aprender as habilidades que ela precisa para assumir o controle de algum aspecto de sua vida, num nível que seja apropriado para sua idade e desenvolvimento. O primeiro passo para a mudança é ajudar a criança a entender seus comportamentos, sentimentos e pensamentos e a relação entre eles, o que geralmente desperta um sentimento de controle sobre si próprio e segurança. Eu trabalho com as crianças de forma a descobrirmos estratégias para enfrentar situações difíceis, entendermos o papel da própria criança nessas situações e praticar novos comportamentos.

 

Como funciona a psicoterapia infantil?

Na psicoterapia infantil a criança é convidada a compartilhar suas preocupações num ambiente seguro, confidencial e lúdico no qual nós usamos a brincadeira e a conversa para cuidar de suas dificuldades.

Antes de iniciar a psicoterapia eu realizo uma avaliação psicológica da criança. Essa avaliação é composta de 4 partes. A primeira parte é uma entrevista com os pais, na qual conversamos sobre suas preocupações e expectativas para a criança. A segunda parte são de 4 encontros individuais com a criança, nos quais explico a ela o que é a psicoterapia e investigo tanto as questões trazidas pelos pais quanto as preocupações e opiniões da própria criança.

Caso a questão da criança esteja relacionada a escola, na terceira parte da avaliação eu realizo uma visita a escola, na qual entrevisto a professora e a orientadora educacional para saber mais sobre suas preocupações e sobre o comportamento da criança na escola. A parte final da avaliação é uma entrevista devolutiva com os pais e acontece após eu ter reunido e avaliado todas as informações necessárias vindas das diversas fontes consultadas. Nesse encontro relato aos minhas observações e conclusões, além de apresentar um plano de tratamento individualizado com base nos resultados da avaliação. Após essa reunião podemos iniciar a psicoterapia.

A psicoterapia é realizada em sessões individuais com a criança de 1 a 2 vezes por semana, com duração de 50 minutos. Ao longo do processo os pais são convidados para se reunir comigo algumas vezes para que conversemos sobre as estratégias que venho trabalhando com a criança, de forma que eles possam incentivá-la a usar essas novas habilidades na vida cotidiana (fora do meu consultório) e também elogiá-la por seu esforço.

Além disso, quase sempre eu dou uma “lição de casa” para as crianças praticarem entre as sessões, como forma de fortalecer os aprendizados, e peço que os pais me ajudem a monitorar a realização dessa “lição de casa”.

Agende sua consulta